A Lisboa de Vieira da Silva

Depois de passar na RTP2 o programa “Visita Guiada”, onde Paula Moura Pinheiro visita a Fundação Arpad Szenes-Vieira da Silva, fomos percorrer os locais marcados pelos passos da pintora, nascida em Lisboa.

Rua das Chagas

vieira 1

vieira 2


Maria Helena Vieira da Silva nasceu na Rua das Chagas em Lisboa, neste magnífico edifício, a 13 de Junho de 1908, exactamente 20 anos depois de ter nascido Fernando Pessoa.

Continuar a ler

Anúncios

Os coretos centenários de Lisboa

Em Lisboa, existem cerca de uma dezena de coretos espalhados por toda a cidade, mas apenas três são centenários. Muitos outros, entretanto, já foram demolidos.

Associados à festa, continuam a ser espaços de animação cultural, ou simplesmente locais para onde os mais novos gostam de ir brincar. Há os ornamentados, os mais simples, há os redondos, os octogonais ou com outras formas, e encontram-se em praças ou grandes jardins.

E porque os coretos continuam a ser símbolos da nossa cultura e identidade, aqui ficam os três mais antigos da cidade de Lisboa:

1. Jardim da Estrelacoreto


É o mais antigo coreto de Lisboa, construído em 1894, estando originalmente instalado na Avenida da Liberdade. Em 1936 foi transferido para o Jardim da Estrela por razões acústicas, dado o aumento do trânsito na avenida, o que levava a que se deixassem de ouvir os concertos que ali se passavam.

Continuar a ler

Um relógio datado de 1586

Hospital dos Capuchosrelogio de sol


Mandado construir pelos frades que habitavam o Convento de Santo António dos Capuchos (hoje Hospital), este é o relógio de sol português mais antigo do qual se conhece a data de fabrico – 1586.

Encontra-se no “Pátio do Relógio”, à entrada do Serviço de Hematologia do Hospital dos Capuchos, sobre uma boca de cisterna, a qual está coberta com azulejos setecentistas. Assinado como “FPL 1586”, revela-nos assim o nome do autor e o ano do fabrico.

A publicidade em azulejos: 8 magníficos painéis

A produção do azulejo publicitário situa-se essencialmente na 2.ª metade do século XIX e nas três primeiras décadas do século XX, embora ainda apareçam exemplares após esta época.

Transversal a várias actividades económicas como o comércio e a indústria, a verdade é que se popularizou nos mais diversos tipos de estabelecimentos, conferindo-lhe sempre uma grande criatividade, adaptando-se ao produto ou estabelecimento que publicitava.

Apresentamos 8 magníficos exemplares de painéis publicitários, a rondar um século de vida. Infelizmente já nem todos completos, mas já sabemos que a sua divulgação é sinónimo, na maioria das vezes, de preservação.

1. Rua da Assunção – “Sabonete Santa Iria”
sabonetes

Este painel publicitário em azulejo, fica na fachada voltada para a Rua da Assunção do edifício dos antigos Armazéns Grandela, reconstruído em 1996. Apresenta a imagem de uma santa com sabonetes, identificando “Armazens Grand(ela)” como local de venda. Foi pintado a azul e branco, na Fábrica Roseira, por A. J. Gameiro, com recurso à técnica da faiança.

Continuar a ler

“A Luz de Lisboa”

luz


Com inauguração marcada para hoje, a exposição “A Luz de Lisboa” irá ter lugar no Torreão Poente do Terreiro do Paço, até ao próximo dia 20 de Dezembro. Criada pelo Museu de Lisboa, vai juntar 45 obras de pintura, desenho, fotografia, cinema, vídeo, documentário e literatura.

É uma exposição bilingue, preparada para agradar a todas as idades. A entrada normal tem um valor de três euros.

Horários:
Até 25/10 – 3ª a Domingo: 10h – 20h
A partir de 27/10 – 3ª a Domingo: 10h – 18h.

Os 8 mais belos edifícios sobreviventes ao Terramoto de 1755

Pelos bairros históricos, como a Mouraria, Alfama e Bairro Alto, ainda encontramos edifícios anteriores ao Terramoto de 1755, que sobreviveram a um estrondoso abanão e que estão para ficar. Apesar de não terem uma qualidade artística muito elevada, encantam pela sua arquitectura medieval e pelo pitoresco que trazem ao bairro. Hoje apresentamos oito desses edifícios, que nos fascinam pela sua singularidade:

1. Rua dos Cegoscegos


É um edifício quinhentista e será provavelmente um dos mais antigos prédios existentes na cidade de Lisboa. Apesar da sua pequena dimensão, marca sem qualquer dúvida o tipicismo da zona onde se encontra, no Bairro de Alfama.

Continuar a ler